••• Dra Marcella – Reumatologista – Rio de Janeiro – Barra da Tijuca

Gota: além da dor articular

Gota: além da dor articular

A gota é uma doença inflamatória que ocorre em pacientes com os níveis de ácido úrico no sangue acima do normal (hiperuricemia), levando ao depósito de monourato de sódio nas articulações. Isso acontece por excesso na produção dessa substância ou por deficiência na sua eliminação, causando um balanço positivo do ácido úrico circulante no organismo.

O paciente mais acometido é o sexo masculino, entre 40 e 50 anos, sedentário, com sobrepeso e usuários de bebida alcoólica. Porém, também pode ocorrer em pessoas sem essas características, porém com história familiar de gota. Nas mulheres, a doença raramente ocorre antes da menopausa, mas após essa sua incidência no sexo feminino se iguala aos homens.

A gota não se caracteriza apenas pela hiperuricemia. Para o diagnóstico de gota, o paciente deve apresentar episódios de inflamação articular, ou seja, crises súbitas de dor intensa, edema e calor articular, que melhoram com o uso de antiinflamatórios, colchicina ou corticoide em dose baixa. Nem todos os pacientes que possuem hiperuricemia desenvolvem a doença.

Porém, a gota vai além da doença articular. Os sais de monourato de sódio também se depositam na pele, nos rins e nas paredes das artérias. Isso caracteriza a gota como uma doença mais “perigosa” do que parece. Os pacientes podem ter formações de cálculos de ácido úrico, perda da função renal, desenvolvimento de tofos na pele e aumento do risco de doenças cardiovasculares (infarto agudo do miocárdio, acidente vascular encefálico).

Dessa forma, o tratamento da gota visa controlar os níveis do ácido úrico no sangue, evitando os episódios de inflamação articular, mas também o desenvolvimento dessas outras complicações. O paciente não tratado corretamente passa a ter intensificação da dor articular nas crises, intervalos mais curtos entre elas, maior número de episódios inflamatórios e acomentimento de mais articulações. O médico deve estar atento ao controle dos fatores de risco cardiovasculares, utilizando medicações adequadas para a hipertensão arterial, diabetes, aumento do colesterol e a obesidade.

É possível ter qualidade de vida com gota. Procure um Reumatologista e inicie o seu tratamento. Esse texto é informativo e não substitui a consulta médica.

Marcella Andrade

CRM 5295792-5

2 comentários sobre “Gota: além da dor articular

  1. Ótimo artigo e muito bem explicado fácil de leitura para quem e leigo o motivo da doença ,sintomas,e tratamento .

    • Obrigada pelo comentário Alexandre! Que bom que gostou! Siga acompanhando que sempre estarei fornecendo mais informações sobre o assunto.

Deixe um comentário